Fundo site Paróquia São Sebastião
Logotipo Paróquia São Sebastião
Assistir Missa

Assista a missa On-line.

Ver mais horários e locais
Untitled Document
Conheça a paróquia

Vivemos em meio a uma sociedade secularizada em que os meios de comunicação social ditam a filosofia da vida moderna e moldam a nossa história sem se preocuparem com a real importância e objetivo que Deus nos propõe e solicita para que pratiquemos o anúncio do Reino. As transformações recorrentes vão além dos grandes centros e capitais, estão presentes em nossas cidades, bairros e ruas até chegarem à nossas casas das mais diferentes formas e tomam diferentes conseqüências para nossos filhos e amigos.

 


O papel da igreja é ser essa porta voz eloquente de propagação e divulgação da verdade salvívica de Cristo Jesus. E nós que somos ramos desta videira somos o canal que faz esta ponte continuar suspensa e forte, por mais difícil e pesado que sejam os transtornos que por ela passam somos nutridos e fortificados pela palavra e união.


Muita coisa mudou, mas a evolução da maturidade afetiva no novo cristão precisa ser conquistada. O vegetal recebe nutrientes e cresce se houver adubo. Assim também é o cristão de hoje: tem de buscar em Deus, não pode viver instintivamente, precisa trabalhar o seu caráter para florescer e frutificar. Chegou o momento de sair do comodismo para o ativismo, e algo natural e não demagógico, deve vir dos sentimentos humanos profundos e espirituais.


No novo milênio a família cristã deve vislumbrar a exuberância do belo, resgatar os sentimentos via toque, atenção e carinho. Precisa sair da intenção para a concretização do amor de Deus, como um compromisso de lealdade e fidelidade. No lar, o poder tem de ser compartilhado, não é intimar a família para se unir, mas criar intimidade para se unir.


Normalmente sentimos prazer no pecado, mas se insistirmos em fazer o que é justo, Deus nos capacitará por sua Graça a sermos transformados em nossa mente – “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12:2).